Category: PESQUISAS.
Coleção História Geral da África

Coleção História Geral da África

Acesse a edição completa da Coleção em português

A UNESCO no Brasil, em parceria com a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação (SECAD/MEC) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), viabilizaram a edição completa da Coleção História Geral da África, em Português. Em oito volumes, a obra cumpre a função de mostrar à sociedade que a história africana não se resume ao tráfico de escravos e à pobreza, porque fala da história de dentro do continente.

Para o ministro da SEPPIR, Eloi Ferreira de Araujo, “a coleção é de grande importância para a população negra brasileira porque promove a elevação e auto estima do povo do nosso país”.

Faça aqui o download da coleção completa.

Leia também:

Coleção sobre História Geral da África reforça a implementação da Lei 10.639

UNESCO lança Coleção sobre África que reforça implantação da Lei 10.639/2003

Newsletter IARA – Nov/10

Notícias desta edição:


–  Educação: “Há racismo explícito nas obras de Lobato”,diz educadora

–  Linha do Tempo disponibilizada pelo IPEAFRO/RJ

ONU Mulheres seleciona consultoria para preparação de mini-curso para jornalistas em gênero, raça e etnia.

SEPPIR e UNICEF lançam campanha nacional “Por uma infância sem racismo”

O 11o  número Boletim Eletrônico “Tempo em Curso”, com atenção especial `a adoção da Lei 10.639 e 11.645 no interior das redes municipais de ensino.

– Assista ao Filme em homenagem à Semana da Consciência Negra – SEPPIR

Aconteceu: Seminário Internacional Quilombos das Américas

Acesse o conteúdo por este link – INFOMATIVO IARA

Universidades, Governo, Nações Unidas e feministas em seminário sobre direitos sexuais e reprodutivos, em SP 19.11.10
Evento na USP com apoio do Fundo de População das Nações Unidas  coloca em pauta a saúde integral das mulheres, os direitos sexuais, direitos reprodutivos e faz um balanço das pendências no cumprimento das ações resultantes da Conferência Internacional de População e Desenvolvimento ocorrido no Cairo em 1994.

São Paulo (Brasil) – Está marcada para esta sexta-feira,19, em São Paulo, a realização do Seminário Nacional “Em direção a Cairo +20: Agendas Pendentes e Perspectivas em Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos” com a presença da Ministra Nilcéa Freire, da Secretaria de Políticas para as Mulheres (foto). O evento acontecerá, das 8h às 18h,  na Faculdade de Saúde Pública/USP, Auditório João Yunes, Avenida Dr. Arnaldo, 715, próximo à Estação Clínicas do Metrô. O seminário é uma promoção conjunta da Rede Feminista de Saúde, Faculdade de Saúde Pública da USP e Núcleo de Estudos sobre População da Unicamp (Nepo) e tem o apoio do Fundo de População das Nações Unidas – UNFPA. O acesso à programação completa do evento e inscrições podem ser obtidas pela página da Faculdade de Saúde Pública USP.
O Seminário Nacional “Em direção a Cairo +20: Agendas Pendentes e Perspectivas em Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos” terá transmissão ao vivo pelo IPTV: www.iptv.usp.br – Para mais informações contate com: Secretaria da Comissão de Cultura e Extensão da FSP/USP. Tel. 11-3061-7787.  E-mail: svalunos@fsp.usp.br
O evento de São Paulo  está chamando as organizações do movimento social para discutir e avaliar a implementação dos compromissos assumidos pelo Brasil na Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, realizada no Cairo, em 1994, e que até hoje é  considerada um marco no tratamento das questões relativas ao planejamento e desenvolvimento populacional, bem como impõe a perspectiva de direitos no campo da saúde sexual e reprodutiva.

Fonte:
http://www.unifem.org.br/003/00301009.asp?ttCD_CHAVE=127511

Ipea lança software gratuito de análises estatísticas

IpeaGEO ficará disponível na internet. Apresentação terá transmissão ao vivo pelo sítio do Instituto

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) lança nesta quarta-feira, 18 de agosto, o software IpeaGEO, ferramenta de análises estatísticas com foco na análise espacial. O programa permite ao usuário ordenar e visualizar dados em seu contexto geográfico, seja por região, estado, município, ou área do mapa. O lançamento está marcado para as 14h e terá transmissão ao vivo pelo sítío do Ipea.

O programa, gratuito, foi criado pela Assessoria de Métodos Quantitativos da Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais (Dirur). A ideia é fornecer uma alternativa a softwares já existentes no mercado. Além de ser livre (o programa está disponível para download no sítio do Ipea, pelo www.ipea.gov.br/ipeageo), o IpeaGEO apresenta como diferenciais a inclusão de técnicas espaciais inéditas e o foco no território nacional.

Assim como ocorre em outros programas que possuem a mesma finalidade, no IpeaGEO o usuário seleciona uma malha e a combina com os dados de seu interesse. Uma das malhas disponíveis é a de municípios do Brasil, que pode ser combinada com uma base de dados que incorpora mais de mil variáveis.

Entre as variáveis trazidas pelo IpeaGEO estão estimativa populacional, área da unidade territorial, população e domicílios, censo agropecuário, Produto Interno Bruto, informações de saúde e educação, estatísticas do registro civil, representação política, estatísticas do cadastro central de empresas, instituições financeiras, finanças públicas, frota, pobreza e desigualdade.

O lançamento ocorrerá no auditório do Ipea em Brasília (SBS, Quadra 1, Bloco J, Edifício BNDES/Ipea, subsolo). A apresentação será feita pelo presidente do Instituto, Marcio Pochmann; pela diretora da Dirur, Liana Carleial; pelo coordenador da Assessoria de Métodos Quantitativos, Waldery Rodrigues Junior; e pelo bolsista Pedro Albuquerque. O mediador será o técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea Alexandre Ywata.

Fonte:  Agência IPEA

ACESSE O IPEAGeo – http://www.ipea.gov.br/ipeageo/

Biblioteca Digital da ONU: África 8000 a.C. – 2010 d.C

Sim, a ONU está disponibilizando uma biblioteca digital de conteúdos sobre a África de 8000 a.C. – 2010 d.C .

As informações estão disponibilizadas por países, períodos, temas e instituições, mais uma possibilidade de estudos que deve ser conferida.

A biblioteca digital também está disponibilizada para todos os continentes e 7 linguas, incluindo o português.

ACESSE A BIBLIOTECA DIGITAL

Inscrições abertas:Pós-graduação em História e Cultura Afro-brasileira e Africana até 06.08.2010

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiro da Universidade Federal de Juiz de Fora (Neab/UFJF) está com inscrições abertas para 40 vagas no processo seletivo da segunda turma do curso de pós-graduação “História e Cultura Afro-brasileira e Africana: educações para as relações étnico-raciais”.

O curso e as inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o dia 6 de agosto, na Faculdade de Letras, sala Sky, primeiro andar, de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h30. Podem participar da seleção os portadores de diploma de curso superior em Pedagogia ou Normal Superior ou licenciatura plena em qualquer área de conhecimento.

O resultado será divulgado no dia 28 de agosto, pelo site do Neab. As aulas terão início em 10 de setembro. Elas serão ministradas às sextas-feiras, das 18h30 às 22h30 e aos sábados, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Clique aqui para baixar o edital.

Clique aqui para baixar a ficha de inscrição.

Clique aqui para visualizar o web folder.

Fonte: Neab Universidade Federal de Juiz de Fora

(mais…)

COPENE 2010 NO AR: Acompanhe tudo!

O VI Congresso Brasileiro de Pesquisadores(as) negros(as) – COPENE, cuja a edição 2010 está ocorrendo no Rio de Janeiro está totalmente disponível para acompanhamento online.

O tema deste ano é “Afrodiáspora, saberes pós coloniais, poderes e movimentos sociais”.

Fonte: COPENE


Dentre as atividades já ocorridas pode-se destacar a participação do ator norte-americano Danny Glover discutiu sobre o tema “Mídia e Racismo”, o economista Marcelo Paixão – UFRJ e de Kabengele Munanga e Boaventura de Sousa Santos, que também participou de um evento na Fiocruz.

Fonte: COPENE


O site oficial do COPENE 2010 está disponibilizando várias midias de acesso ao evento, acompanhe tudo em tempo real.

http://www.youtube.com/copene2010

http://www.flickr.com/photos/copene/

–  http://twitter.com/copene_2010


Prof. Dr. Marcelo Paixão no COPENE 2010

Fonte: COPENE

UNIFEM apresenta ONU Mulheres para ministras da América Latina e Caribe

(14/07/2010 – 12:29)

Brasília (Brasil) –  Na manhã de hoje, 14/07, o UNIFEM (Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher – parte da ONU Mulheres) promoveu um café da manhã com a presença de ministras, parlamentares e altas autoridades dos mecanismos para as mulheres da América Latina e Caribe. Conduzido por Gladys Acosta, chefa do UNIFEM para a região, o encontro reuniu cerca de 50 mulheres entre elas Alicia Bárcena (CEPAL), Rebecca Tavares, representante do UNIFEM Brasil e Cone Sul, Rachel Mayanja (OSAGI – parte da ONU Mulheres) e Yassine Fall (INSTRAW – parte da ONU Mulheres).


Durante o café da manhã, foi apresentado a ONU Mulheres – Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres, cuja criação foi anunciada no último dia 2 de julho, em Nova York, na Assembleia Geral da ONU. A organização, que estará em pleno funcionamento em Janeiro de 2011, vai unificar as quatro instâncias de mulheres da ONU: DAW – Divisão para o Avanço das Mulheres (criada em 1946), INSTRAW – Instituto Internacional de Pesquisas e Capacitação para a Promoção da Mulher (criada em 1976), UNIFEM –  Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher (criada em 1976) e OSAGI – Escritório de Assessoria Especial em Questões de Gênero  (criada em 1997).
Estiveram presentes no evento as ministras Magdalena Faillace (Argentina), Eveling Llanos (Bolívia), Nilcéa Freire (Brasil), Carolina Schmidt Zaldívar e Constanza Bollmann Schele (Chile), Martha Lucía Vásquez Zawadzky (Colômbia), Maureen Clarke (Costa Rica), Yolanda Ferrer (Cuba), Ana Lucía Herrera  (Equador), Julia Evelyn Martínez (El Salvador), Sonia Escobedo (Guatemala), Maria Antonietta Botto (Honduras), Rocío García Gaytán (México), Isavel Green (Nicarágua), Lic. Markelda Montenegro de Herrera (Panamá), Gloria Rubín (Paraguai), Nidia Vilchez (Peru), Alejandrina Germán (República Dominicana), Lic. Beatriz Ramírez Abella e Ana María Vignoli (Uruguai) e Nancy Perez (Venezuela).


A Conferência Regional sobre a Mulher da América Latina e do Caribe é um órgão subsidiário da CEPAL e se realiza a cada três anos. Seu objetivo principal é proporcionar um fórum para o debate sobre os temas de gênero, apresentar recomendações de política pública e avaliar o cumprimento dos acordos e planos regionais, tendo em vista as necessidades das mulheres.A 11ª da conferência é coordenada pela CEPAL e pela SPM (Secretaria de Políticas para as Mulheres). Traz como tema principal “Que tipo de Estado? Que tipo de igualdade?”, para o qual a CEPAL apresentará um documento em que são examinadas as conquistas e os desafios que os governos da América Latina enfrentam em relação à igualdade de gênero à luz das interações entre o Estado, o mercado e as famílias, que com uma adequada interrelação podem estabelecer as condições para renovar ou perpetuar as hierarquias sociais e de gênero.

Fonte: UNIFEM

Mapa da Violência 2010 – Anatomia dos Homicídios no Brasil

O Mapa da Violência 2010 – Anatomia dos Homicídios no Brasil é o décimo de uma série publicada desde 1998 e que se tornou referência internacional sobre o tema.
Produção dos Instituto Sangari

Gênero e Cor/Raça
Esta edição aprofunda a análise dos dados gerais e traz um recorte especial de gênero e cor/raça. As constatações das desigualdades são uma grande contribuição para o debate sobre as questões sociais brasileiras e oferecem uma luz para a elaboração de políticas públicas.

Jovens e Educação
Como sempre, este Mapa privilegia também a compilação e a análise de dados relativos aos jovens. Eles são uma força estratégica na construção de cada país, e a violência é um fator determinante das oportunidades reais que terão ao longo da vida.

A violência sobre os jovens tem relação direta com o seu acesso à escola e à qualidade do seu aprendizado. Eis porque o Instituto Sangari se empenha na pesquisa deste fenômeno, buscando elementos para novas estratégias na Educação.

Versão Digital
O Mapa da Violência 2010 está aqui disponível na íntegra. Abaixo você também encontra as tabelas complementares cuja consulta está sugerida em notas de rodapé.

Acesse todos os documentos, mapas e vídeos direto no site.

Acesse o site do Mapa da Violência:
http://www.institutosangari.org.br/mapadaviolencia/

Showing 1 of 2 (2 Pages)