AGÊNCIA BRASIL: Morre no Rio o ex-senador Abdias Nascimento

Vladimir Platonow
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro – Ativista político e precursor do movimento negro no país, o ex-senador Abdias Nascimento morreu ontem à noite (23), aos 97 anos, vítima de complicações decorrentes de diabetes. A informação foi confirmada pela fundação que ele mantinha e também por integrantes do movimento negro. Abdias estava internado há dois meses no Hospital dos Servidores do Estado, no centro do Rio.

A trajetória de vida do líder negro foi destacada pelo fundador do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap), Ivanir Santos. “Foi um lutador incansável pela igualdade racial no Brasil, em defesa das comunidades negras. Tanto em suas contribuições no teatro quanto nas artes plásticas e na política, ele sempre levou à sociedade a denúncia do racismo”, frisou Ivanir.

A luta de Abdias pela instituição de cotas nas universidades foi lembrada pelo diretor executivo da organização não governamental (ONG) Educafro, Frei David dos Santos. “O Abdias deixa um legado fortíssimo. Ele tinha uma convicção: jamais o Brasil será melhor, se o negro não tiver melhores condições e oportunidades. Em 2005, quando fazíamos um protesto em frente à UFRJ [Universidade Federal do Rio de Janeiro], Abdias fez questão de participar, mesmo em cadeira de rodas”, recordou Frei David, que ainda cobra da universidade maior presença de alunos negros nos cursos.

Abdias Nascimento também teve participação no jornalismo, com registro profissional desde 1947 no sindicato da categoria, conforme lembrou Angélica Basthi, da Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial (Cojira-RJ).
“Ele foi, durante muito tempo, uma das principais – se não uma das únicas – vozes de combate ao racismo. Deixa de legado a necessidade de se dar continuidade à proposta de corrigir desigualdades com base na raça e na cor e também prosseguir com as ações e os sonhos que ele teve, de uma sociedade mais justa e mais igualitária”, disse Angélica.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro lançou este ano o Prêmio Abdias Nascimento, que está com inscrições abertas até 19 de agosto. Entre os assuntos sugeridos para as matérias que poderão concorrer ao prêmio, estão saúde da população negra, intolerância religiosa, juventude negra, ações afirmativas, empreendedorismo, desigualdades, direitos humanos, relações raciais, políticas públicas, comunidades tradicionais e discriminação racial.

Nascido em 1914, no município de Franca, em São Paulo, Abdias Nascimento começou cedo a luta pela igualdade racial. “Em 1936, ele foi preso por protestar contra a exigência de entrar numa boate da capital paulista pela porta dos fundos, por ser negro”, lembrou a esposa, Elisa Larkin Nascimento, diretora do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro).

Em 1944, já vivendo no Rio de Janeiro, ele fundou o Teatro Experimental do Negro. Marco na luta pela cidadania do artista negro, o grupo contribuiu para a formação profissional de dezenas de atores. O jornal Quilombo, criado por Abdias em 1947, já abordava questões que só bem mais tarde foram concretizadas em políticas públicas no Brasil.

O ativista sofreu pressões durante a ditadura militar e ficou exilado 13 anos nos Estados Unidos. De volta ao Brasil, Abdias Nascimento iniciou carreira política, tendo sido deputado federal, nos anos 80, e senador, de 1991 a 1992 e de 1997 a 1999 pelo PDT.

Edição: Nádia Franco//Matéria alterada às 18h49 para correção de informação

FONTE: http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-24/morre-no-rio-ex-senador-abdias-nascimento

Similar Articles

AÇÕES DO IARA E IPEAFRO... O Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (IARA) e o Instituto de Pesquisa e Estudos Afro Brasileiros (IPEAFRO), em ação conjunta decidiram unir esforços para buscar perante
ACESSE O PORTAL JURIDÍCO... Acesse o Portal Jurídico do IARA e se informe das ações que estão ocorrendo no seu Estados: Lei 10.639/03, mercado de trabalho, julgamentos do Conselho Nacional de
I SIMPÓSIO NACIONAL DE S... A  Universidade Estadual de Campinas tem a honra de sediar o Iº Simpósio Nacional de Saúde da População Negra e HIV/Aids, sob a organização e coordenação da
IVLP GOLD STAR TOUR 2011
Coleção História Geral... Coleção História Geral da África Acesse a edição completa da Coleção em português A UNESCO no Brasil, em parceria com a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e
TERRA: Morre Abdias do Na... por Claudio Leal O único negro brasileiro, pois não. Abdias Nascimento surgia nas crônicas hiperbólicas de Nelson Rodrigues como um militante irredutível, capaz de esfregar “a cor
IVLP GOLD STAR 2011 ̵... Caros e Caras Está é uma rara oportunidade de ver como são os pronunciamentos da Secretária de Estado Hillary Clinton e como ela recebe a Sociedade Civil
PRIMEIRA AÇÃO CIVIL PÚ... Praticamente 5 anos depois de iniciada a e distribuída a todo o Brasil, a Representação (Denúncia) em face da Ausência da Implementação da Lei 10639/03, solicitando a
Newsletter IARA – Nov/10 Notícias desta edição: –  Educação: “Há racismo explícito nas obras de Lobato”,diz educadora –  Linha do Tempo disponibilizada pelo IPEAFRO/RJ – ONU Mulheres seleciona consultoria para preparação
Bolsonaro: Meu filho não... por Marcela Rocha Após polêmica entrevista ao programa CQC, da Band, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), não recua em seus ataques ao homossexualismo, à presidente Dilma
UNIFEM apresenta ONU Mulh... (14/07/2010 – 12:29) Brasília (Brasil) –  Na manhã de hoje, 14/07, o UNIFEM (Fundo de Desenvolvimento das Nações Unidas para a Mulher – parte da ONU Mulheres)
Audiência Pública no Se... A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa vai realizar na segunda-feira, 28, às 10 horas, uma audiência pública, de autoria do senador Paulo Paim, para debater

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *